A Revista MANIFESTO está de regresso

Revista semestral | À venda na segunda quinzena de abril | Preço: 9,50€

Assinatura


Estatuto Editorial


1. Manifesto é uma revista de debate na esquerda portuguesa, promovida pela Associação Fórum Manifesto – Centro de Estudos Sociais e Políticos. Tem como objetivo essencial contribuir para um maior pluralismo na análise e discussão de questões da atualidade e a abordagem de temas de relevância política, económica, social, cultural e ambiental.

2. Manifesto considera que uma opinião pública informada, crítica e exigente é condição essencial da democracia, assumindo por isso os princípios do rigor dos factos, da liberdade de opinião e do debate plural e esclarecido, comprometendo‑se com o respeito pelos princípios deontológicos e a ética profissional dos jornalistas, pela boa fé dos leitores e para com o direito à diferença de posicionamentos políticos, ideias, convicções e perspetivas.

3. Manifesto pretende contribuir para o aprofundamento do debate e da convergência entre distintas sensibilidades da esquerda portuguesa, valorizando a diversidade de pontos de vista e, nesse âmbito, as possibilidades de aproximação e os campos de diferença, impulsionando o debate sobre as questões e os desafios políticos com que o futuro nos confronta.

4. Manifesto procura intervir sobre a realidade e apoiar, através da escolha dos temas, da reflexão e do pensamento crítico, as mobilizações e intervenções cívicas transformadoras da sociedade.


Destaques do primeiro número


Entrevista a Noam Chomsky

“O Povo está zangado”

Noam Chomsky é um dos maiores intelectuais atualmente vivos. Nesta entrevista à revista Manifesto, o pensador norte‑americano admite estar bastante apreensivo com o crescimento da extrema‑direita e do neofascismo um pouco por todo o Mundo, um fenómeno que, diz, se deve à cada vez maior concentração de riqueza e de poder. “O Povo está zangado, receoso, sem esperança, à procura de uma espécie salvação e, por vezes, adere a apelos irracionais. Entretanto, a economia desenvolve‑se de forma lenta, mas de forma poderosa em benefício dos extremamente ricos”, analisa. Apesar de estarmos num “período de monstros”, como refere ao citar Gramsci, Noam Chomsky não perde a esperança e sublinha existirem, também, muitos desenvolvimentos positivos.


Entrevista a Chantal Mouffe

“O populismo é uma dimensão necessária da democracia”

Hoje, na Europa, podemos dizer que vivemos um processo de latino-americanização das  nossas sociedades. Continua a aumentar o fosso entre um grupo pequeno de pessoas muito ricas e uma classe média que vive um processo de precarização (e isto é uma consequência do neoliberalismo).

 

 


 

Este artigo foi publicado em Home, Notícias e Atividades. Bookmark o permalink.